Arquivo do mês: março 2011

Bruna Caram na ponta do pé

Lado BBruna Caram é cantora. Quando o assunto é seu lado B, a arte também impera.

“Meu lado B é o lado bailarina-tardia, já que parei com o ballet clássico quando era menina e voltei há poucos anos, fissurada em recompensar o tempo perdido”. Para isso, Bruna dança pelo menos quatro horas por semana. Quando decidiu sapatear, no ano passado, o tempo era de seis horas. E o ritmo só diminuiu porque na época a cantora passou a ter problemas no calcanhar.

Pausa – Na infância, as dores decorrentes da dança intrigavam a pequena Bruna. “Quando era criança, dançava e gostava, mas não entendia esse lance da dor, não me conformava com o ballet sempre doer, em maior ou menor grau. Quando coloquei sapatilhas de ponta, foi a morte. Não durei mais um ano, literalmente pedi pra sair!”, relembra, rindo. Com a maturidade, um novo olhar sobre a situação surgiu. Bruna aprendeu o quanto exigir de seu corpo, além de saber resistir até chegar onde quer. “Tenho o maior orgulho.”

Disco de ouro – Por que o lado B de Bruna Caram é indispensável? “Porque de fato é uma paixão, completamente viciante, que mexe com muitos sonhos e muitos limites meus. Voltar ao ballet era um sonho impossível, achei que estava velha pra recomeçar do zero. Mas vivi esse impossível!”, diz. “Cantar é o que me mantém viva, mas  a dança ajuda a manter essa chama enquanto não estou no palco. Aliás, no palco, o resultado é bem visível, inclusive pra aguentar a intensidade do meu show, dançar, cantar, interpretar e NÃO FICAR CANSADA. Nem doente, nem fraca. Ufa! É uma conquista!”.

Fotos: divulgação


O múltiplo Dinho Santana

Lado B – Dinho Santana é professor de física. Matéria difícil para ele é definir seu lado B, diante de suas tantas outras atividades, todas feitas com a mesma dedicação. “Por ganhar mensalmente, cumprindo uma CLT e tal, acredito que meu lado A é ser professor. E paralelamente nos meus lados B, C e D as vidas de ator-comediante (stand up e locução de comerciais), músico integrante da primeira banda cover de Paul McCartney do Brasil (reconhecida pela produção do próprio) e consultor em programação neurolinguística! Meu Deus.. é muita coisa!”.

Todos os lados – Os primeiros sinais da aptidão artística de Dinho foram mostrados na infância, fase em que ele já tocava diversos instrumentos musicais e fazia imitações.

Foto de divulgação de Dinho Santana

Segundo o professor, o fato de saber administrar o tempo o ajudou a ser tudo o que ele é hoje. “Passei muito tempo ouvindo dos outros que fazer uma coisa já era difícil, quem diria fazer quatro!”. Engana-se quem pensa que tanto trabalho cause confusão. Dinho garante que executa muito bem todas as tarefas, sem misturá-las.  “O mais engraçado é que quem me conhece de uma forma acha que as minhas outras facetas são, em primeira análise, menos favorecidas. Por exemplo, quando estou no palco, divertindo uma plateia enorme com meu stand up, ao final, muitos duvidam que eu seja um bom professor. Do mesmo modo, quando estou em aula (sou muito rígido com a disciplina)  tenho uma aula divertida, mas nunca brinco em sala. Também sou responsável por todo conteúdo da internet do colégio (que tem abrangência nacional) e um dos professores mais procurados pelos alunos para tirar dúvidas”, conta. “Na escola, é muito difícil que alguém vá a um show de humor meu. Eles acham que eu deva ser muito sem graça! E isso acontece com as outras vertentes também!”.

Beatle – Dinho é músico da banda Paul McCartney brazilian tribute act e assim como seus colegas de grupo, sabe tocar diversos instrumentos. “Nessa banda todos os músicos devem saber tocar pelo menos três instrumentos, pois como somos um cover do tipo acting, fazemos tudo o que se vê no show de Paul McCartney. Inclusive as trocas de instrumentos e tal. São horas e horas de dedicação entre ensaios vocais, posturas em palco etc”. Nota alta para o professor que sabe tocar cinco instrumentos musicais: baixo, guitarra, ukulele, violão e piano. “Quando falo numa das minhas outras profissões que eu toco cinco instrumentos, muitos fazem um ar de dúvida, mas quando vão a um show meu, a  conversa passa de dúvida para admiração.”

Faixas – Por que o lado B de Dinho Santana é indispensável? “Os meus lados B são na verdade parte de um todo chamado Armando  Moucachen de Sant’Anna. Eu sou isso! Eu me completo em cada detalhe que busco em cada uma das minhas vertentes!”. E o professor ainda afirma que tem outro talento especial: cozinhar. Muitos amigos dispensam o restaurante para  jantar na casa dele. Dinho conta ainda que é pai e busca ser um excelente marido. “E o mais interessante: durmo bem!”, diverte-se.


%d blogueiros gostam disto: